Três dicas para sua Ginástica no verão

Será que homens não gostam de ginástica?
05/08/2017
Livre-se do estresse na ginástica
23/08/2017
Exibir tudo

Três dicas para sua Ginástica no verão

À medida que o calor se aproxima, a tarefa familiar de todos os anos é criar o próximo quadro de horários de aulas para esta estação. Há tantas considerações! Quais as aulas deveremos cortar e quais deveremos incluir? Teremos professores qualificados e disponíveis? Quais os horários agradarão a maioria dos alunos? Não fossem suficientes todas estas dúvidas, muitas vezes, ainda temos as restrições orçamentárias que limitam as compras de novos acessórios e a contratação de serviços. Nas linhas seguintes você encontrará três dicas para sua Ginástica no verão.

Com esta missão assustadora que perturba a cabeça de muitos gestores, uma das primeiras ideias é pensar no velho hábito de “copiar e colar” o que foi feito nos anos anteriores, mas deveremos deixar esta facilidade de lado se quisermos ter bons resultados. Antes de começar, pare e considere estes 03 fatores que o ajudarão na tomada de decisões.

 

Mix de Aulas

Ao contrário da rotina de reuniões e compromissos diários que aumentam o stress de seus clientes, as aulas em grupo devem representar uma saída divertida que eles realmente esperam e precisam. Se seu mix de produtos for restrito e não agradar, esteja certo de que ninguém irá se interessar. Simples assim!

A seleção das aulas será determinante no alcance destes resultados e deveremos analisar com cuidado quais atividades ofereceremos de acordo com o público que desejamos conquistar. Opte pela diversidade de gêneros não esquecendo de incluir treinamento de força e resistência com pesos, circuitos, ciclismo, condicionamento, Body & Mind, ritmos e artes marciais. Tenha em sua grade, aulas para homens e mulheres que proporcionem um fluxo mais equilibrado entre musculação e ginástica. Alunos não se identificam com um programa de aulas em grupo ultrapassado e limitado! Fique de olho nas tendências consistentes e opte por aulas mais curtas em função das temperaturas e para que todos possam sair mais cedo e desfrutar de outros prazeres do verão.

Considere o Uso do Espaço Externo

O verão é a estação da liberdade e estar mais perto da natureza causa impactos surpreendentes no ser humano. Praticar exercícios ao ar livre e em ambientes mais ventilados pode ser uma grande opção sempre que as condições climáticas permitirem. O treinamento em circuito se adapta perfeitamente aos espaços externos e deveremos considerar:

  • Estimular os músculos de forma única: alguns exercícios não são fáceis de serem reproduzidos em ambientes fechados, como corridas em aclive e declive
  • Aumentar o gasto energético: os exercícios outdoor tendem a ser mais extenuantes. Estudos com corredores e ciclistas mostraram que, ao ar livre, se despende mais energia para percorrermos a mesma distância, devido às mudanças no terreno e à resistência oferecida pelo vento.
  • Aumentar o prazer: voluntários que fizeram caminhadas com a mesma duração e distância, em ambientes abertos, obtiveram resultados mais elevados em testes psicológicos, entusiasmo e autoestima, e mais baixos quanto ao stresse e fadiga, após o exercício ao ar livre.
  • Encorajar a vontade de treinar: um estudo sobre os hábitos de treinamento de pessoas com mais de 60 anos constatou que as que caminhavam ao ar livre treinavam, em média, mais 30 minutos por semana do que as que caminhavam ou faziam outros tipos de treino num espaço fechado.

O Quadro de Horários

Chega de jogo de adivinhação, você deve primeiro entender os hábitos de vida dos clientes e definir quais são os horários mais convenientes para que possam se exercitar. Descubra o que seus alunos esperam e para isso recolha informações mantendo pequenos grupos de discussão, enviando pesquisas por escrito, ouvindo sugestões e pedindo opiniões dos mais assíduos.
É importante estabelecer um perfil para cada público-alvo ao criar uma programação de ginástica. Nesta tarefa o seu software de gestão deve ser capaz de referenciar facilmente as estatísticas e check ins diários, revelando o período de frequência, tempo de tráfego e outros parâmetros determinantes. Composição de quadro de horários não é bicho de sete cabeças, mas requer muito trabalho e pesquisa.

Outras dicas importantes sobre Composição de Quadro de Horários você poderá encontrar através do link abaixo.

Como Evitar um Mix Obsoleto na Ginástica 

Boa sorte!

 

Cida Conti
Cida Conti
Educadora Física – CREF: 078160-G/SP
International Presenter
Diretora Executiva Radical Fitness Brasil

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *